Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘nascar’

Por Luis Ferrari, assessor do Nelsinho

Copyright: Tom Pennington, Getty Images North America

Copyright: Tom Pennington, Getty Images North America

Brasiliense sobrevive a corrida conturbada com o carro #77 e conquista o melhor resultado da história da Randy Humphrey Racing com o 26º lugar

Nelsinho Piquet sobreviveu a uma corrida marcada por duas intervenções da bandeira vermelha neste domingo em Watkins Glen e terminou sua primeira corrida na Nascar Sprint Cup Series. Ele recebeu a bandeira quadriculada com o Ford Fusion #77 em 26º lugar, o melhor resultado da história do time na mais popular categoria do automobilismo americano.

“Foi um final de semana intenso, cheios de altos e baixos. Passamos por situações bem difíceis para evitar as confusões e no fim do dia 26º não foi tão mal, considerando nossas limitações. O objetivo do time era o 30º lugar, então fico contente por ter superado a meta”, disse o piloto de 29 anos de idade.

A jornada do carro #77 em Watkins Glen foi dificultada por pouco tempo de pista na sexta-feira. O carro passou boa parte dos treinos livres na garagem, o que dificultou o trabalho de Piquet na tomada. Depois de classificar o carro em 32º, Piquet largou duas posições à frente e logo entrou numa estratégia diferente da maioria dos pilotos ao aproveitar a primeira bandeira amarela na volta 11 para fazer seu pit-stop.

A corrida então teve um longo período em bandeira verde. Conforme os adversários faziam suas paradas, Piquet Jr avançava na pista. Ele chegou a andar em 14º. Mas com o passar das voltas o carro #77 não sustentou a posição no top-15.

Com a perda de ritmo, acabou virando retardatário na segunda rodada de pit-stops. Mas a cinco voltas do final Nelsinho conquistou o lucky dog, recuperando a volta do líder para a última relargada da tarde.

“Na prova, nossa estratégia era trabalhar o acerto do carro nas paradas, brigar para permanecer na volta do líder e poupar freios para tentar alguma coisa no final. Deu para cumprir. Foi uma pena que para desviar de um acidente tive um toque na parte final da corrida, então o carro ficou empenado e a partir daí foi questão de sobrevivência apenas”, acrescentou Nelsinho.

Ele foi o primeiro brasileiro a terminar uma corrida da elite da Nascar em 11 anos, mas se disse especialmente satisfeito por voltar ao ambiente da categoria em Watkins Glen –foi sua primeira prova em 2014.

“Com certeza vir aqui e brigar no final do pelotão é uma experiência diferente que brigar pelo título no rallycross. Mas não poderia perder a oportunidade de andar na Sprint Cup e rever todos na Nascar”, completou o piloto.

Ele volta às pistas em duas semanas, para a disputa da sexta etapa do Red Bull Global Rallycross Championship em Daytona.

Read Full Post »

Por motivos de força maior o post acabou atrasado, já aconteceram os treinos livres. Nelsinho Piquet finalizou em p33 no primeiro treino e p30 no segundo treino. Não é um resultado ruim, uma vez que há pelo menos 20 a 25 pilotos fortes que conhecem bem o carro da Cup – pelo menos seis já foram campeões nos últimos anos e mais uns dez brigaram pelo título. Temos que lembrar que essa é a primeira vez que Nelsinho tem contato com um carro da categoria principal e é um carro de uma equipe nova, que com um outro piloto sequer conseguiu se classificar entre os 43 para uma corrida. Óbvio que todos torcem por uma zebra e que ele figure no victory lane no domingo, mas tenham em mente que um resultado entre os 20, 25 primeiros não deve ser considerado ruim.

Piquet Jr voltando para os boxes após o segundo treino livre (Foto: twitter @TeamRHR)

Piquet Jr voltando para os boxes após o segundo treino livre (Foto: twitter @TeamRHR)

Segue a programação de amanhã e domingo em Watkins Glen:

Sábado, 09 de Agosto  / Saturday, August 9

  • Qualifying => 12:40 (BR) / 11:40 a.m. ET / 16:40 UK

Domingo, 10 de Agosto / Sunday, August 10

  • Race => 14:00 (BR) / 1:00 p.m. ET / 19:00 UK

Transmissão: A corrida será ao vivo para o Brasil no canal Fox Sports 2 /For USA live broadcast on ESPN

Resultado treino 1:

1) Kevin Harvick

2) Jimmie Johnson

3) Brad Keselowski

4) A J Allmendinger

5) Marcos Ambrose

6) Joey Logano

7) Jeff Gordon

8) Ryan Newman

9) Dale Earnhardt Jr.

10) Kyle Busch

33) Nelson Piquet Jr.

 

Resultado treino 2:

1) AJ Allmendinger

2) MarcosAmbrose

3) Kyle Busch

4) Dale Earnhardt Jr.

5) Aric Almirola

6) Clint Bowyer

7) Joey Logano

8) Jimmie Johnson

9) Jamie McMurray

10) Greg Biffle

30) Nelson Piquet Jr.

Read Full Post »

Nelsinho Piquet fará sua estreia pela categoria principal da NASCAR no próximo domingo, 10 de Agosto, na corrida de Watkins Glen. O brasileiro irá pilotar o Ford #77 da equipe Randy Humphrey.

Piquet lidera o campeonato do GRC (Foto: José Mario Dias / Piquet Sports)

Piquet lidera o campeonato do GRC (Foto: José Mario Dias / Piquet Sports)

No próximo domingo Piquet se tornará o segundo piloto brasileiro na história a participar de uma prova na Sprint Cup. Ele pilotará o carro #77 da equipe Randy Humphrey, que faz sua estreia na categoria em 2014. A equipe se inscreveu para 4 provas nessa temporada com o piloto Dave Blaney, mas não se classificou para a corrida. Em Watkins Glen por enquanto há exatos 43 carros inscritos, portanto é certo que Nelsinho irá largar.

O fato de ser uma equipe sem tradição não deve assustar Piquet, que sempre andou forte na pista de Watkins Glen pela Nationwide series. Em sua estreia em 2010 o piloto também correu com um carro que não tinha tradição e terminou no top-10. Em se falando de Sprint Cup, com as grandes estrelas da Nascar correndo, um top-10 nessa corrida seria um fato histórico. Christian Fittipaldi foi o outro brasileiro a correr na Sprint Cup no começo dos anos 2000 e seu melhor resultado em 16 corridas foi um 24º lugar.

Piquet foi o primeiro brasileiro a vencer uma corrida da Nascar e seu primeiro triunfo se deu em uma pista mista, como é o caso de Glen. Esta será a primeira prova do líder do Red Bull Global Rallycross na temporada 2014 da NASCAR. Ainda não há informações sobre transmissão, em se tratando de Fox Sports não será surpresa se não mostrarem ao vivo. Aguardem o post com as informações de horários e transmissão para maiores informações.

 

Read Full Post »

Entrevista original em inglês aqui => http://www.motorsport.com/rallycross/news/nelson-piquet-jr-settling-into-new-role-as-a-rallycross-driver/

Nelsinho Piquet em ação no último final de semana (Foto: Divulgação)

Nelsinho Piquet no GRC (Foto: Divulgação)

Livre tradução para o português por Livia Castrioto

Título: Nelson Piquet Jr vai se fixando em um novo papel, de piloto de rallycross

O sincero Nelson Piquet Jr tirou um momento para conversar com o repórter do Motorsport.com Piotrek Magdzriarz durante o World RX no último final de semana em Lydden Hill

Quando Nelson Piquet Jr chegou à Fórmula 1, as expectativas foram as mais altas possíveis, e as comparações com seu pai, três vezes campeão da F1, foram inevitáveis.

Entretanto, o infame “crashgate” lançou a carreira do jovem piloto ao fundo do poço para então se reerguer no mundo da NASCAR.

Agora, ele está se reinventando mais uma vez – seu novo foco é o Global Rallycross Championship. Para ganhar mais milhagem nesse tipo de carro, ele viajou para Lydden Hill, na Inglaterra, para participar do World RX na categoria RX Lites.

Nelson, você sente falta da F1?

“Realmente não”.

Por que?

“Bom, eu fiquei lá por poucos anos. Não foi por muito tempo”.

Em se tratando puramente de corrida, como você compara a F1, a NASCAR e o Rallycross?

“Todas são puramente corrida. Apenas diferentes regras, níveis e ambientes”.

Você foi companheiro de equipe do Fernando Alonso na sua época de Formula 1. Ele é considerado um tipo de piloto que quer que o time gire em torno dele. Teve conflitos com Lewis Hamilton e depois minimizou Felipe Massa na Ferrari. Como era quando ele era seu companheiro de equipe?

“Ele é um piloto muito, muito bom. Ele é bem sucedido pela maneira como ele é – um dos pilotos mais rápidos, esperto. Eu não diria que todos os pilotos deveriam ser como ele, mas em algum momento você precisa ser egoísta, precisa ser ganancioso, mas – você sabe – se você quer ser o melhor, se quer andar na frente, é assim que deve ser”.

Você correu de NASCAR nos últimos anos. É um capítulo encerrado?

“Não, eu apenas tive a oportunidade de fazer a temporada toda do rallycross e na NASCAR eu não teria uma equipe de ponta”.

Muitos pilotos com experiência na Fórmula 1 e em monopostos foi para a NASCAR… Você, Jacques Villeneuve, Dario Franchitti, Juan Pablo Montoya entre outros.

“Você não pode querer comparar Dario Franchitti – que fez apenas uma temporada de Cup sem se preparar para isso e Jacques Villeneuve – que fez apenas umas seis corridas em circuito misto. Não é a mesma coisa do que eu fiz. Quem fez como eu foi o Juan Pablo Montoya… no geral acho que Scott Speed e Montoya – foram os únicos”.

Por que a NASCAR é tão difícil para os pilotos que vêm de monopostos? Qual é a maior dificuldade?

“Os pilotos da NASCAR fazem isso desde que eles nasceram. Não quer dizer que porque você veio da Fórmula 1 você será melhor que todos em tudo. David Coulthard e Ralf Schumacher foram para a DTM e não fizeram p*** nenhuma. As pessoas têm essa mentalidade estúpida de que porque você está na Formula 1 você é o melhor piloto. Isso não quer dizer nada”.

Eu li uma passagem interessante do Karun Chandhok dizendo que guiar vários tipos de carro após deixar a Formula 1 pode fazer de você um piloto melhor.

“A razão pela qual ele se tornou um melhor piloto é porque agora está em algo que é mais o seu nível. Formula 1 não era o seu nível. Ele é um cara legal, o conheço há muito tempo, mas Chandhok não estava em um nível de Formula 1, ele teve acho que uma vitória na GP2 em três anos. Os pilotos precisam achar sua zona de conforto e definitivamente a Formula 1 não era a dele”.

E quanto à você? Aprendeu algo na NASCAR e rallyross?

“Um piloto sempre aprende mais e mais. Hoje estou aprendendo, amanhã estarei aprendendo. Estou melhor do que era há duas semanas atrás, melhor do que eu era no ano passado e estarei melhor cada vez que entrar em um carro”.

Para um piloto do seu nível, fazer o RX Lites não é um retrocesso?

“É muito limitado pensar dessa forma. Aposto que qualquer piloto de F1 que sentar nesse carro não vai bater esses pilotos. Para mim é apenas treino, aprendizado correr contra esses jovens pilotos”.

Seu pai fez a Indy 500. Esta é uma corrida que está na sua lista de desejos?

“Eu faria uma IndyCar, talvez em misto, mas eu jamais sentaria em um carro deles pela primeira vez para uma Indy 500. Por exemplo o que o Kurt Busch fez este ano na minha opinião foi uma loucura total”.

Quais os seus planos para o resto da temporada?

“Rallycross é o principal. Obviamente eu tenho vários finais de semana em aberto, então posso preenche-los com várias coisas”.

Read Full Post »

img_destaque

Atenção fãs do Nelsinho que moram na capital paulista, vocês não podem perder esse grande evento! Na próxima segunda, 17 de fevereiro, o Nelsinho Piquet estará atendendo os fãs, distribuindo autógrafos, brindes e tirando fotos com os fãs que forem até a loja de um de sus patrocinadores, a  Cold Stone Creamery em Moema. Você não pode perder! Além de conhecer o ídolo você ainda pode experimentar o sorvete superpremium mais famoso dos Estados Unidos!

Evento: Nelsinho Piquet atende os fãs na Cold Stone de Moema

Local: Cold Stone Creamery

Endereço: Rua Gaivota, 1350 – Moema, São Paulo – SP (Entre Av. Cotovia e Av. Bem-te-vi)

Horário: A partir das 20h

 Segue abaixo um mapa da região, que fica a poucas quadras do Shopping Ibirapuera

Google Maps

Google Maps

Read Full Post »

Venda de roupas exclusivas usadas pelo Nelsinho Piquet na Nascar

Grande oportunidade para você, fã do Nelsinho que gostaria de ter em casa uma peça usada pelo piloto! São peças de 2012 e 2013, cedidas pelo próprio piloto para que o fã-clube fizesse uma ação de venda e destinar parte da renda para uma instituição de caridade! Interessados mandar mensagem inbox para detalhes de frete.

*Vendas no facebook. Se você não tiver uma conta lá, clique no link abaixo, veja o álbum e se tiver interesse em alguma peça, entre em contato pelo email fcpiquetjrmania@gmail.com*

ATENÇÃO: Como são peças USADAS pelo Nelsinho, algumas peças não parecem NOVAS.

Álbum de fotos no facebook com as peças à venda => https://www.facebook.com/media/set/?set=a.571732869582567.1073741860.283974388358418&type=1

Piquet na video conferência da NASCAR em 2012 usando uma das peças à venda

Piquet na videoconferência da NASCAR em 2012 usando uma das peças à venda // Piquet Jr during NASCAR videoconference in 2012, using one of shirt on sale

ENGLISH

Big sale exclusive clothes used by Nelson Piquet Jr in NASCAR races

That’s a great opportunity for Nelson’s fans would like to take home a piece of clothing used by him in some NASCAR races in 2012 and 2013! This clothes was provide by himself for his Brazilian fan club took an action to sell and allocate part of money for charity!  For non-brazilians payment only by paypal invoice. Prices in US Dollar / Brazilian Real, but everyone can buy.

* Sale on facebook but if you don’t have an account there, click the link below, see the pictures and if you are interested contact me by email fcpiquetjrmania@gmail.com*

ATTENTION: These are clothes USED by Nelson, so some pieces couldn’t  looks like NEW!

Facebook album with the clothes for sale => https://www.facebook.com/media/set/?set=a.571732869582567.1073741860.283974388358418&type=1

Read Full Post »

Foi muito difícil escolher, vocês me enviaram excelentes histórias! Decidi escolher histórias de diferentes momentos da carreira do Nelsinho, aproveitem as vencedoras! Parabéns Cristian , Lucas e Alexandre!

It was really difficult to choice, you all send me great stories! I decided to choice stories from different times of Nelson’s career, so enjoy the top-3! Congratulations Cristian, Lucas and Alexandre!

#1 Cristian Keay (Melbourne, Australia)

There are so many favorite moments from Nelson’s career it would have been easy to name hundreds!  But there was one particular race that I personally (and I’m sure Nelson does!) remember very well. The final British F3 round at Brands Hatch on October 2nd and 3rd 2004.

In typical October English weather, Brands Hatch was… wet. I had travelled down with my family for the weekend especially to watch the final round of the championship, after all it was the championship decider and my favorite driver had a good chance of winning the F3 title.  Being such an important race, the pressure was on and that’s when you need to perform at your best and Nelson had qualified on pole position for the first race, perfect!

I was in Nelson’s pit garage long before the first race taking lot’s of pictures and his mum and sisters was also there for support but mum looked decidedly nervous. The weather had stopped raining but the track was still wet… and this next part is the part I remember and enjoyed the most.

With 10 minutes to go before the first race, Nelson was sat in his car and it fired into life with a loud crackling roar from the exhausts. The mechanics lowered the car to the ground and Nelson drove it out of the garage slowly but then stopped for a few minutes. The press were taking pictures and some of the other team managers peered over to see what tyres Nelson had chosen. With seconds to go before the cars had to be on the grid, a decision had been made to change the tyres to slicks and the engine was cut. So the mechanics pushed the car back in the garage and changed the tyres, air guns rattling and wheels being slammed on in seconds, before the engine was fired up again… this time it seemed even louder as Nelson revved it quickly and the noise echoed and amplified in the pits garage. The smell of the fumes was even intoxicating and press camera’s were clicking away in a frenzy, all this set my heart pounding and a shivering tingle of excitement was felt all down my back, the atmosphere was electric and I was in motor racing heaven!

Even though Nelson was on pole, he didn’t need to win the race to with the F3 championship, so as a true champion he didn’t take any stupid unnecessary risks and settled for 2nd (by less than a second!) and the 2004 F3 Championship was his !! Fantastic !!

To see his team and family hug each other tightly with tears of joy was one I will never forget, everyone including me, was so proud of him. Another important goal on the road to F1 was achieved.

The next race a few hours later, Nelson had nothing to lose as he was running in 2nd place and was chasing down the leader very hard. Right in front of me, Nelson made his move but his front wing clipped the rear tyre of the leader (I think it was Piccione?) as he moved across the track to try and block him. This broken Nelson’s front wing and it was dragging down along the track, but he still won the place and he won the race. This was how Nelson wanted to finish the championship off, with a win, and he was so very happy at that moment… so was his team, his family and so was I !!

It was a weekend I will never forget, so much tension, atmosphere, adrenalin and success. Well Done Nelson Piquet Jr! That was my favorite moment in Nelson Piquet Jr’s career.

On a footnote, Nelson gave me that damaged front wing and signed it, so I made a special coffee table / display case for it and it still sits pride of place in my lounge nearly 10 years later… in Australia ;)

Piquet75

#2 Lucas Bueno (Caraguatatuba, Brasil)

Nelsinho Piquet foi o primeiro vencedor brasileiro num circuito oval,
numa categoria profissional da Nascar.
Lembro-me bem das 200 milhas de Michigan. Era uma tarde de muito
calor. Não quis sair de casa naquele sábado. Estava mudando de canal,
até que começou a corrida. Nunca fui grande fã da Truck Series,
gostava mais da Nationwide e da Sprint. Mas naquele momento, a única
coisa divertida passando na TV era a corrida.

Nelsinho havia largado em 2º lugar, (se eu não me engano), estava
muito bem na prova, mas logo após uma relargada, ele teve um contato
com Klye Busch que resultou numa rodada.

Piquet Jr. foi para os pits, fez ajustes, trocou pneus e colocou combustível.
E a partir dali se viu uma recuperação histórica. De 20º Nelsinho foi
fazendo ultrapassagens incríveis até subir para 3º. Buescher, seu
companheiro de equipe era o líder da prova seguido de Keselowski. Mas
faltando algo entorno de 10 voltas o final eles entraram nos pits,
deixando assim, Nelsinho na liderança da prova.

Naquele momento me lembrei da carreira de Nelsinho. Conhecia apenas a
parte de F1, na sua vida. Lembrei que por muitas vezes o julguei no
caso de Singapura. Achava que ele era um “vilão”.  Mas como eu era
criança naquele tempo, tinha a mente manipulada pela TV. Mas um tempo
depois procurei versões de Nelsinho, falando a respeito daquele
incidente, e consegui tirar uma própria conclusão. E esqueci aquele
péssimo momento. E fiz da prova de Michigan, o reinicio da minha
admiração por Nelsinho, pois apesar de tudo que havia acontecido, ele
se reergueu, e estava ali, batalhando, buscando um recomeço, buscando
a vitória.

2 voltas para o final, Nelsinho desesperado, batalhava contra o
combustível, não podia acelerar muito nem diminuir muito. Imagino que
tenha sido minutos de muito sufoco. Os mecânicos passavam mal, vendo
talvez primeira vitória, ou uma possível pane seca.

Fiquei de pé. Bandeira branca. Nelsinho andava muito lento. Eu estava
desesperado.
VAI NELSINHO, VAI NELSINHO!

E lentamente ele ultrapassou a linha de chegada.

NELSINHO GANHOU! ELE GANHOU!

Foi incrível. Ele finalmente havia vencido. Estava com a cabeça
erguida. Finalmente havia passado por toda aquela “provação”.
Nelsinho ganhou.

20120818ac7256

#3 Alexandre Quintão (Ubá, Brasil)

A minha corrida inesquecível do Nelsinho Piquet foi, exatamente, a primeira que eu tive a oportunidade de assistir: 2002 – Última prova do Campeonato Sul-Americano de Fórmula 3 – Autódromo de jacarepaguá. Neste ano eu estava disposto a não mais acompanhar a F1. Meu maior ídolo, Nelson Piquet, havia parado há alguns anos e Michael Schumacher impunha uma supremacia inquestionável na F1 e, apesar de admirá-lo, eu já estava me desinteressando pelo automobilismo de uma maneira geral.

Lembro-me que eu estava numa festa de confraternização da empresa em que trabalho e, ao passar em frente à televisão, ouvi o sobrenome  Piquet. Eu já ouvira falar daquele menino tricampeão Brasileiro de kart, mas ainda não o havia visto em ação. Imediatamente, parei e comecei a assistir aquela memorável corrida. Nelsinho, com o aerofólio traseiro destruído, perseguia seus adversários superando-os um a um e terminando a corrida num honroso e inimaginável,  devido às circunstâncias da corrida e ao estado do carro, segundo lugar. Um show de pilotagem. Inesquecível! Ainda tive que ouvir o narrador da Band dizer que o futuro daquele garoto no automobilismo seria incerto porque ele só estava acostumado a liderar, a andar na frente, a vencer…

Aquele garoto, com o sangue, o talento, a velocidade, a garra, a determinação e, até mesmo, o nome do meu maior ídolo esportivo reavivou, em mim, o amor pelas corridas. Nelsinho Piquet assegurava, desde então, um lugar de honra no meu coração de fã.
Hoje, passados todos estes anos, a minha admiração pelo piloto e pelo ser humano, Nelsinho Piquet só aumentou. Especialmente, pela coragem em recomeçar a carreira num universo completamente diferente ao que ele fôra criado. Sua humildade, atenção, carinho e acessibilidade aos fãs impressionam tanto quanto sua rapidez nas pistas. O título de campeão Sul-Americano de 2002 já estava assegurado mas o instinto de campeão o fez perseguir a vitória mesmo em condições, extremamente, adversas e isso, aliado às perspectivas que se abriram para mim em relação à minha paixão pelo automobilismo, à partir daquele momento,  tornaram aquela corrida inesquecível para mim.

comemoração camp 2002 piquet sports

Read Full Post »

Older Posts »