Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘entrevistas’

Entrevista original em inglês aqui => http://www.motorsport.com/rallycross/news/nelson-piquet-jr-settling-into-new-role-as-a-rallycross-driver/

Nelsinho Piquet em ação no último final de semana (Foto: Divulgação)

Nelsinho Piquet no GRC (Foto: Divulgação)

Livre tradução para o português por Livia Castrioto

Título: Nelson Piquet Jr vai se fixando em um novo papel, de piloto de rallycross

O sincero Nelson Piquet Jr tirou um momento para conversar com o repórter do Motorsport.com Piotrek Magdzriarz durante o World RX no último final de semana em Lydden Hill

Quando Nelson Piquet Jr chegou à Fórmula 1, as expectativas foram as mais altas possíveis, e as comparações com seu pai, três vezes campeão da F1, foram inevitáveis.

Entretanto, o infame “crashgate” lançou a carreira do jovem piloto ao fundo do poço para então se reerguer no mundo da NASCAR.

Agora, ele está se reinventando mais uma vez – seu novo foco é o Global Rallycross Championship. Para ganhar mais milhagem nesse tipo de carro, ele viajou para Lydden Hill, na Inglaterra, para participar do World RX na categoria RX Lites.

Nelson, você sente falta da F1?

“Realmente não”.

Por que?

“Bom, eu fiquei lá por poucos anos. Não foi por muito tempo”.

Em se tratando puramente de corrida, como você compara a F1, a NASCAR e o Rallycross?

“Todas são puramente corrida. Apenas diferentes regras, níveis e ambientes”.

Você foi companheiro de equipe do Fernando Alonso na sua época de Formula 1. Ele é considerado um tipo de piloto que quer que o time gire em torno dele. Teve conflitos com Lewis Hamilton e depois minimizou Felipe Massa na Ferrari. Como era quando ele era seu companheiro de equipe?

“Ele é um piloto muito, muito bom. Ele é bem sucedido pela maneira como ele é – um dos pilotos mais rápidos, esperto. Eu não diria que todos os pilotos deveriam ser como ele, mas em algum momento você precisa ser egoísta, precisa ser ganancioso, mas – você sabe – se você quer ser o melhor, se quer andar na frente, é assim que deve ser”.

Você correu de NASCAR nos últimos anos. É um capítulo encerrado?

“Não, eu apenas tive a oportunidade de fazer a temporada toda do rallycross e na NASCAR eu não teria uma equipe de ponta”.

Muitos pilotos com experiência na Fórmula 1 e em monopostos foi para a NASCAR… Você, Jacques Villeneuve, Dario Franchitti, Juan Pablo Montoya entre outros.

“Você não pode querer comparar Dario Franchitti – que fez apenas uma temporada de Cup sem se preparar para isso e Jacques Villeneuve – que fez apenas umas seis corridas em circuito misto. Não é a mesma coisa do que eu fiz. Quem fez como eu foi o Juan Pablo Montoya… no geral acho que Scott Speed e Montoya – foram os únicos”.

Por que a NASCAR é tão difícil para os pilotos que vêm de monopostos? Qual é a maior dificuldade?

“Os pilotos da NASCAR fazem isso desde que eles nasceram. Não quer dizer que porque você veio da Fórmula 1 você será melhor que todos em tudo. David Coulthard e Ralf Schumacher foram para a DTM e não fizeram p*** nenhuma. As pessoas têm essa mentalidade estúpida de que porque você está na Formula 1 você é o melhor piloto. Isso não quer dizer nada”.

Eu li uma passagem interessante do Karun Chandhok dizendo que guiar vários tipos de carro após deixar a Formula 1 pode fazer de você um piloto melhor.

“A razão pela qual ele se tornou um melhor piloto é porque agora está em algo que é mais o seu nível. Formula 1 não era o seu nível. Ele é um cara legal, o conheço há muito tempo, mas Chandhok não estava em um nível de Formula 1, ele teve acho que uma vitória na GP2 em três anos. Os pilotos precisam achar sua zona de conforto e definitivamente a Formula 1 não era a dele”.

E quanto à você? Aprendeu algo na NASCAR e rallyross?

“Um piloto sempre aprende mais e mais. Hoje estou aprendendo, amanhã estarei aprendendo. Estou melhor do que era há duas semanas atrás, melhor do que eu era no ano passado e estarei melhor cada vez que entrar em um carro”.

Para um piloto do seu nível, fazer o RX Lites não é um retrocesso?

“É muito limitado pensar dessa forma. Aposto que qualquer piloto de F1 que sentar nesse carro não vai bater esses pilotos. Para mim é apenas treino, aprendizado correr contra esses jovens pilotos”.

Seu pai fez a Indy 500. Esta é uma corrida que está na sua lista de desejos?

“Eu faria uma IndyCar, talvez em misto, mas eu jamais sentaria em um carro deles pela primeira vez para uma Indy 500. Por exemplo o que o Kurt Busch fez este ano na minha opinião foi uma loucura total”.

Quais os seus planos para o resto da temporada?

“Rallycross é o principal. Obviamente eu tenho vários finais de semana em aberto, então posso preenche-los com várias coisas”.

Read Full Post »

Tradução do Google com correções gramaticais feitas por Livia Castrioto da entrevista do Nelsinho pro site da Nascar em espanhol. Original aqui => http://www.nascar.com/espanol/120921/npiquetjr-entrevista/index.html

O campeonato da NASCAR Camping World Truck Series NASCAR chega hoje à noite no Kentucky Speedway para a 16ª corrida do campeonato, mas será um evento especial para Nelson Piquet Jr. O piloto brasileiro chega na sua participação de número 50 corridas nas séries nacionais. NASCAR.COM em espanhol encontrou um bom momento para conversar com ele, fazer um balanço, compartilhar seus sentimentos sobre automobilismo nos Estados Unidos e saber o que Nelsinho quer para o seu futuro.

NASCAR.COM: Hoje à noite será a sua corrida de número 50 na NASCAR. Foram muitas competições desde que a primeira aparição em fevereiro de 2010 em Daytona com a Truck Series. Como se sente quanto à sua mudança como piloto desde a chegada aos Estados Unidos?

Nelson Piquet Jr.: Estou muito contente por chegar a este ponto. Após cerca de dois anos, eu me sinto quase em casa agora. Sim, foi muito aprendizado e muita concorrência desde a corrida em Daytona, mas o meu sentimento é de que o tempo passou… rápido! Provavelmente porque eu gostei.

Foi uma experiência maravilhosa. A decisão de mudar a minha carreira a NASCAR foi muito importante e depois de 50 corridas, e com algum sucesso, eu acho que está valendo a pena. Em relação ao desenvolvimento como piloto, eu vejo que é um processo contínuo. Em cada corrida há coisas novas para aprender e melhorar suas habilidades.

E não apenas sobre as corridas em que eu competi. É de uma cultura de automobilismo fascinante. Não são apenas as corridas da Cup, quero dizer faixas curtas, faixas de terra, como os modelos Late Models, Outlaw e Go Karts. Como piloto, estou orgulhoso e feliz por fazer parte deste ambiente de corrida.

Sempre tem também o lado competitivo, que oferece oportunidades para todos. Pela maneira como as coisas funcionam na NASCAR, o vencedor da corrida tende a ser o melhor piloto naquele dia, não a melhor máquina ou equipamento com o maior orçamento.

NASCAR.COM: A NASCAR foi o lugar que te recebeu quando deixou a Europa. Que tipo de pessoas encontrou aqui?

Nelson Piquet Jr.: Costumo dizer que, se cortar ao meio a renda de todos aqueles que trabalham na NASCAR, também ficariam felizes em continuar com seus trabalhos, pois são todos profissionais dessa indústria, mas não só isso. Simplesmente não é só para poder trabalhar em um emprego regular e receber dinheiro por isso. É trabalhar em algo que se é apaixonado.

Acho muito difícil definir trabalhadores e patriotas fãs de corridas na NASCAR. Se eu tivesse que defini-lo em uma frase, ‘paixão pelas corridas’ seria a melhor maneira de descrever o que eu encontrei aqui.

 NASCAR.COM Você pensou na Indycar antes da NASCAR IndyCar como muitos compatriotas concorrentes nessa categoria?

Nelson Piquet Jr.:. Não realmente na Indy havia algumas equipes interessadas em mim, mas eu já tinha decidido que meu objetivo era ser o primeiro brasileiro a ter sucesso na NASCAR. Meu objetivo é abrir as portas de meus companheiros pilotos para a NASCAR. Assim como fez Emerson Fittipaldi para a Fórmula 1 e Fórmula Indy. Eu poderia ter ido para Indy ser outro brasileiro a estar correndo lá e depois mudar. Mas a minha sensação é que havia apenas NASCAR em meus planos.

NASCAR.COM: Tendo vencido na Truck Series e atualmente ocupam o oitavo lugar na classificação, o que é o objetivo para o restante da temporada?

Nelson Piquet Jr.: Eu gostaria de ganhar mais corridas e ter um final de temporada sólido.

NASCAR.COM: Quais são seus planos para a próxima temporada?

Nelson Piquet Jr.:. Sem dúvida, eu vou continuar a competir na NASCAR. Se como motorista regular de Truck Series ou Nationwide Series é algo que depende dos resultados alcançados no final da temporada e do patrocínio.

NASCAR.COM Fará sua estreia na Sprint Cup no próximo ano?

Nelson Piquet Jr.: Depois da vitória deste ano em Road America com a Nationwide, fui perguntado se eu esperava ganhar tão cedo na minha terceira aparição na série e respondi que se eu tinha tudo tão bem planejado e executado corretamente, como era o propósito naquele final de semana, talvez até pudesse ter vencido se fosse minha primeira corrida.  É muito diferente correr em um carro que compete em todas as corridas, com uma equipe que tem um forte apoio e que está no topo de seu jogo.

Obviamente meu objetivo é disputar a Sprint Cup. Mas eu quero fazer isso da maneira certa. Não só colocar o meu nome na lista de inscritos para esta corrida. Meus pensamentos sobre a minha estreia na Cup é baseada menos em “quando”, se será na próxima temporada ou não.  É baseada em “como”, ou seja, ter condições que me permitem realmente competir. 

Read Full Post »

Foto: Divulgação Rodrigo França

Pessoal, ontem de madrugada o canal Sportv exibiu o programa “Linha de Chegada – entrevista” com Nelsinho Piquet e Miguel Paludo diretamente do Hall of Fame da Nascar, em Charlotte. Devido ao horário bem tarde, muitas pessoas não conseguiram assistir. O site oficial ainda não disponibilizou os vídeos, mas o Lucas Scherer gravou o programa e postou no youtube em duas partes. Enquanto o canal não tirar do ar por direitos autorais, segue abaixo os links:

Parte 1:

Parte 2:

Read Full Post »

Livre tradução para o Português por Livia Castrioto – original em inglês: SPEED

No cockpit: Nelson Piquet Jr. Diário do Piloto – A decisão está por vir

Espero em breve tomar a decisão de em qual equipe irei guiar na próxima temporada…

Bom, a corrida em Kentucky foi muito boa pro time mas confesso que estou um pouco desapontado pois realmente estávamos esperando nossa primeira vitória lá. Estávamos fazendo tudo certo, éramos o Truck mais rápido da pista durante a corrida. Infelizmente colocamos um jogo de pneus que não foi tão bom para nós e ficamos um pouco mais lentos. Mesmo com esse contratempo conseguimos recuperar e chegar em quarto, então não posso ficar assim tão triste.

Após a corrida em Kentucky eu voltei para Mooresville para alguns dias em casa para treinar pro Triathlon de Miami que vou disputar em breve. Depois estive em Pensacola (na Flórida) para um casamento de um amigo. De lá segui para Miami para treinar mais para o Triathlon mas ficou difícil pois enfrentamos muitos dias de tempestade. Nos momentos sem chuva aproveitei para treinar antes de voltar a Mooresville e focar na corrida de Las Vegas.

Ainda encontrei meus dois sócios brasileiros em Miami. Junto com meus dois amigos de infância criamos uma cachaça que é um licor brasileiro feito de cana fermentada. Nós demos o nome de “B” porque nossa cachaça tem o mel como seu ingrediente chave e projetamos o design do logo e da garrafa com as listras de uma abelha. As coisas estão indo muito bem e eu mal posso esperar pra introduzir o produto aqui na América!

Estou tendo muitas reuniões para determinar em qual time da NASCAR Camping World Truck Series irei competir no próximo ano. As coisas estão progredindo bem e eu espero tomar uma decisão em breve. Eu gostaria de ter tudo já definido antes do final da temporada para poder me concentrar na próxima temporada tão logo acabe essa.

A próxima corrida é em Las Vegas neste final de semana. Eu andei lá ano passado mas não tive um Truck muito competitivo. No entanto dessa vez será muito melhor, eu ganhei muita experiência e tenho uma equipe muito competitiva. Eu gostei muito dessa pista que é muito veloz, como Chicago. Estou realmente esperando que possamos chegar a vitória nesse final de semana.

Filho do tri-campeão de Formula 1 Nelson Piquet, Piquet Jr começou no kart aos 8 anos de idade em sua terra Natal, Brasil.Ele passou 8 anos aprimorando sua técnica e seu talento no kart, conquistando 3 campeonatos antes de começar nos carros de Fórmula. Em 2002 Piquet conquistou o campeonato da F3 Sulamericana com 13 vitórias. Em 2004 ele levou pra casa o campeonato da F3 Britânica com 6 vitórias e 7 pódios. Em 2008 e 2009 Piquet competiu na Formula 1 antes de tomar a decisão de se transferir pra NASCAR em 2010.

Read Full Post »

Livre tradução para o Português por Livia Castrioto – original em inglês: SPEED

NO COCKPIT: Nelson Piquet Jr – diário do piloto – Chicagoland

A próxima é em Chicagoland e eu estou ansioso por isso…

Foto que o Nelsinho postou no twitter, chegando em Carmel

Depois de uma excelente viagem pela Califórnia, estou me preparando pra corrida em Chicagoland nesse final de semana. Durante a pausa entre as corridas de Atlanta e Chicago tirei um tempo pra visitar uma parte dos Estados Unidos, que eu nunca tinha ido antes. Eu e minha namorada viajamos pela Califórnia, visitamos cidades totalmente novas para mim. Nós voamos até Los Angeles, alugamos um carro e dirigimos até Santa Bárbara. Eu amei aquilo lá. Nós tivemos oportunidade de se hospedar num hotel maravilhoso, um lugar perfeito pra malhar. Estou treinando pra um triathlon no final do ano, então lá eu pude nadar e correr bastante durante as férias.

De Santa Bárbara fomos até Carmel e em seguida até São Francisco, o ponto final da nossa viagem. Eu adorei essa aventura, vimos belas praias e pudemos fugir um pouco da agitação da vida cotidiana. Após a aventura pela Califórnia, voltamos à Costa Leste para a Carolina do Norte para que eu pudesse me preparar pra próxima corrida.

A próxima é em Chicagoland e estou realmente ansioso pra chegar lá. Esta é exatamente o tipo de pista que eu me adapto melhor e acredito que nós estamos numa boa posição de ir bem. estou trabalhando com grandes pessoas e estou animado pra ver como o Chevrolet Silverado nº8 vai se sair em Chicago.

Também estarei participando de alguns eventos antes da corrida. Estarei na Q&A e sessão de autógrafos no Joliet Race  Fan Rally na quinta-feira, 15 de setembro às 6 da tarde. E eu estarei também na sessão de autógrafos que a Nascar promove na pista, sexta-feira às 12:30. Eu adoro passar o tempo com fãs e conhecer as pessoas durante esses eventos. Eu adoraria conhecer todos, por isso não deixem de passar aqui pra me dizer um “oi”!

Filho do tri-campeão de Formula 1 Nelson Piquet, Piquet Jr começou no kart aos 8 anos de idade em sua terra Natal, Brasil.Ele passou 8 anos aprimorando sua técnica e seu talento no kart, conquistando 3 campeonatos antes de começar nos carros de Fórmula. Em 2002 Piquet conquistou o campeonato da F3 Sulamericana com 13 vitórias. Em 2004 ele levou pra casa o campeonato da F3 Britânica com 6 vitórias e 7 pódios. Em 2008 e 2009 Piquet competiu na Formula 1 antes de tomar a decisão de se transferir pra NASCAR em 2010.

Read Full Post »

Livre tradução para o Português por Livia Castrioto – original em inglês: SPEEDTV.com

NO COCKPIT: Nelson Piquet Jr – diário do piloto – O Tempo voa…

Apenas foi minha primeira vez na última quarta-feira mas senti como se já tivesse corrido em Bristol…

Estou com a cabeça na corrida de Atlanta desse final de semana, que é a 17ª da temporada. Nem posso acreditar que já estamos entrando no final da temporada. Incrivel como o tempo tem passado depressa!

Eu sei que na ultima quarta-feira em Bristol foi minha primeira corrida lá, mas eu senti como se sempre tivesse corrido lá. Eu consegui meu quinto top-10 esse ano e tive minha melhor posição de largada da temporada, largando em 2º na O’Reilly Auto Parts 200. O truck estava ótimo por toda a noite e eu nem acreditei o quão bem eu fui na minha primeira classificação lá. Bristol Motor Speedway é notoriamente uma pista de grande dificuldade, então estou certo que com um pouco mais de experiência conseguiria terminar num top-5.

Após a corrida em Bristol eu viajei pra Miami por alguns dias pra passar o tempo com minha irmã mais nova. Ela está começando a faculdade em Miami, se transferiu após ter estudado em Londres no último ano. Eu a ajudei a se instalar e organizar algumas coisas. Também aproveitei pra praticar Wakeboard antes de voltar a Carolina do Norte pra me preparar pra corrida em Atlanta.

Eu estou animado com a corrida em Atlanta nesse final de semana. Eu de fato acredito que será uma corrida muito divertida. Eu tenho um histórico muito bom em pistas intermediárias e estamos vivendo um bom momento. Eu ficarei feliz se tiver um resultado sólido e fizer uma corrida consistente, mas o que eu realmente gostaria é de conseguir uma vitória. Eu tenho uma grande equipe por trás de mim e sinto que a vitória se aproxima.

Uma nota especial às pessoas afetadas pelo furacão Irene: Quero enviar meus sentimentos a todos os que foram afetados pelo furacão Irene. Eu considero a Carolina do Norte como minha casa e me entristece saber que as pessoas estão sofrendo nessa área e na Costa Leste. Meus melhores sentimentos e desejo que todos possam permanecer fortes.

Filho do tri-campeão de Formula 1 Nelson Piquet, Piquet Jr começou no kart aos 8 anos de idade em sua terra Natal, Brasil.Ele passou 8 anos aprimorando sua técnica e seu talento no kart, conquistando 3 campeonatos antes de começar nos carros de Fórmula. Em 2002 Piquet conquistou o campeonato da F3 Sulamericana com 13 vitórias. Em 2004 ele levou pra casa o campeonato da F3 Britânica com 6 vitórias e 7 pódios. Em 2008 e 2009 Piquet competiu na Formula 1 antes de tomar a decisão de se transferir pra NASCAR em 2010.

Read Full Post »

Livre tradução para o Português por Livia Castrioto – original em inglês: SPEEDTV.com

NO COCKPIT: Nelson Piquet Jr – diário do piloto – NASCAR é especial

Desde que eu mudei pras corridas na América eu me apaixonei de ver como o esporte aqui valoriza os fãs e como os fãs valorizam o esporte…

Nestes dias após a corrida em Charlotte estive com a família e os amigos mas estou animado e mantive o foco na corrida no Kansas neste fim de semana. Esta é a corrida de nº 400 da Nascar Camping World Truck Series e mais um marco pra esse esporte que as pessoas tanto amam.

Uma das coisas que mais amei de ver desde que mudei pro automobilismo americano é ver como o esporte valoriza seus fãs e como os fãs abraçam o esporte. A lealdade e a paixão de ambos os lados – pilotos e fãs – é surpreendente. É ótimo pros fãs terem esse acesso aos pilotos o que não acontece na maioria dos esportes. Na NASCAR temos várias sessões de autógrafos nos finais de semana de corrida para satisfazer os fãs e agradecer a todos que estão ali pra nos apoiar. As pistas e a NASCAR fornecem oportunidades dos fãs se aproximarem do esporte que eles investem seu tempo seguindo. Aplaudo os esforços da NASCAR em suas formas inovadoras de mostrar aos fãs que eles são uma parte crucial do final de semana.

Os fãs de fato têm um grande interesse na NASCAR. Teve sessões de autógrafo nos finais de semana em que os fãs vinham pegar meu autógrafo apenas porque eu dirijo um Chevrolet! Às vezes os fãs querem apenas autógrafos dos pilotos da Toyota porque eles têm um Toyota e querem ser fiéis a sua marca! Isso mostra o quão apaixonados eles são.

Eu acho que a paixão dos torcedores é ajudada pelo fato da corrida ser em circuitos ovais onde os torcedores assistem e comemoram como em uma grande arena de basquete ou futebol. Na Europa a natureza dos circuitos só permite quem está na arquibancada assistir uma parte da corrida. Já nos ovais você pode assistir toda a ação e sempre entender o que está acontecendo.

Esta facilidade de interação do público também se traduz pelas características técnicas dos Trucks e das regras do esporte. Considerando que em outras categorias de automobilismo as regras mudam a cada ano e podem ser muitas vezes muito complexas, na NASCAR eles mantêm a mesma e garante que está sempre acessível.

Esta é a minha visão do que faz a NASCAR especial e por isso mantém seus fãs dedicados.

Filho do tri-campeão de Formula 1 Nelson Piquet, Piquet Jr começou no kart aos 8 anos de idade em sua terra Natal, Brasil.Ele passou 8 anos aprimorando sua técnica e seu talento no kart, conquistando 3 campeonatos antes de começar nos carros de Fórmula. Em 2002 Piquet conquistou o campeonato da F3 Sulamericana com 13 vitórias. Em 2004 ele levou pra casa o campeonato da F3 Britânica com 6 vitórias e 7 pódios. Em 2008 e 2009 Piquet competiu na Formula 1 antes de tomar a decisão de se transferir pra NASCAR em 2010.

Read Full Post »

Older Posts »